Numerologia de Julho

Numerologia de Julho - Helena Sousa

Neste ano universal 2018/11/2 em que nos alinhamos com a vibração do milénio 2000, os temas do feminino, da união, dos consensos e da partilha são prioritários, pois caminhamos para a união e integração dos opostos, das polaridades (masculino e feminino), acima de tudo ao nível interno. Claro que este processo faz-se automaticamente em relação com nós mesmos e com os outros, e aqui o Outro, trará à luz do dia questões internas que de outra forma não conseguimos ver. Percebemos que tudo e todos funcionarão como espelhos, reflexos, do que precisa ser aceite, entendido e perdoado em nós. No melhor sentido, laços relacionais serão fortalecidos por estarem em consonância com o nosso Ser e caminho, outros ficarão no caminho por já terem cumprido um propósito na nossa vida.

Neste mês de Julho em particular, cuja vibração universal é 7, apela-nos ao recolhimento, ao silêncio interno, à descoberta da nossa verdade, aprofundar em nós questões ainda mal resolvidas, e acima de tudo, que entendamos que ninguém é uma ilha, mas há determinados momentos que precisamos de nos isolar e sentirmo-nos bem com nós mesmos, pois nesse encontro interior há uma verdade a ser revelada em nós e por nós. Não é um mês de ação, nem de expor os nossos sentimentos, pois a intropecção é necessária antes de agirmos, e este mês pede mesmo isso. Somando a vibração do mês com o ano universal julho/7 + 2018/11/2 = 9, que nos diz que para avançarmos na vida, há “roupas velhas” que devem ser largadas, pois nesta espiral em que tudo é cíclico, há um determinado momento que somos convidados, a aceitar, perdoar, libertando-nos da bagagem emocional, tornando-nos mais leves. Aceitar não significa concordar. Aceitar significa que vive a vida, percebendo que tudo acontece com um propósito e quando aprende a lição que a experiência lhe trouxe, consegue entender, e depois de entender será mais fácil perdoar-se a si mesmo e ao outro, libertando-se de um peso emocional que já não faz sentido carregar. As “roupas velhas” internas são as camadas de mágoa, ressentimento, excessos de ego, tudo expressões do Medo, que nos prendem a nós próprios de expressarmos o nosso potencial.

Por isso, este mês recolhe-te, alinha-te contigo mesmo e entende que a vida é Alquimia pura, ou seja, é um processo que não tem inicio nem fim, em que ciclicamente te transformas e regeneras. Só Tu sabes o que está dentro de Ti e o que És, e, no teu silêncio és capaz de Te descobrires ainda mais, pois neste momento, tudo o que conseguires apenas vai depender de ti e da coragem que terás em aceitares que és capaz de criar tudo na tua vida, assim como de te curares internamente.

Larga para receberes!

Deixe um Comentário

Your email address will not be published.